sábado, 26 de maio de 2018

Governo divulga consórcio que vai implantar VLT do Subúrbio


23/08/2018 - Correio 24 Horas

O Consórcio Skyrail Bahia, composto pelas empresas Build Your Dreams (BYD Brasil) e Metrogreen, foi o vencedor da licitação para implantar e operar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Subúrbio Ferroviário de Salvador. O modal metropolitano ligará a região do Comércio de Salvador até a Ilha de São João, no município de Simões Filho. O investimento total previsto é de R$ 1,5 bilhão.

A aprovação da proposta econômica foi realizada no modelo de Parceria Público Privada (PPP), com desconto de 0,01% na contraprestação anual, que será de R$ 152.977.352,12. O projeto vencedor foi analisado e aprovado pela Comissão de Licitação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), referente às Condições de Participação, Garantia da Proposta e Qualificação Técnica Operacional.

Com isso, o consórcio liderado pela BYD Brasil, organização global especializada em energia limpa e atuante em 250 países, foi declarado totalmente apto para a concessão do modal, que será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente.

O edital garante a integração física do VLT com o sistema de metrô. Nesse sentido, o consórcio vencedor pretende, com investimento adicional, implantar trecho de ligação até o Retiro, ao mesmo tempo que o trecho Ilha de São João/Comércio estará em construção, passando pela Estação da Calçada. Dessa forma, será viável o funcionamento dos modais em um sistema de rede, através de serviços complementares.

O leilão, realizado nesta quarta-feira (23), na sede da Brasil Bolsa Balcão – B3 (fusão da BM&BOVESPA e Cetip), em São Paulo, teve a participação dos secretários estaduais da Casa Civil, Bruno Dauster, e de Desenvolvimento Urbano, Demir Barbosa. O procurador-geral do Estado, Paulo Moreno, e o presidente da Companhia de Transporte da Bahia, Eduardo Copello, também estiveram presentes.

“Salvador, uma das maiores cidades do país, precisa de um transporte público adequado para sua população. Avançamos muito com o metrô e com as novas vias estruturantes. Agora, vamos poder oferecer um transporte público de qualidade, seguro e confortável para quem mora, trabalha ou estuda em toda região do Subúrbio”, afirmou Dauster.

Já o secretário de Desenvolvimento Urbano destacou os próximos passos a partir da decisão desta quarta-feira (23). “Agora, seguiremos os trâmites legais para homologação da concorrência e assinatura do contrato da PPP, o que já deve ocorrer em julho”, disse Demir.

Em seguida, o cronograma dos trabalhos preliminares será iniciado, incluindo as interferências na poligonal onde será implantado o VLT, com instalação do canteiro de obras e outros procedimentos. Assim, as obras devem ser iniciadas em outubro, cerca de 90 dias após a assinatura do contrato.
Veículo Leve sobre Trilhos

O VLT, que irá substituir o atual Trem do Subúrbio, terá 19,9 quilômetros de extensão, com 22 estações. Estão previstas intervenções por trechos: o primeiro, entre o Comércio e a estação da calçada, com 3,5 quilômetros; o segundo, entre Calçada e Baixa do Fiscal, com 1,1 quilômetro; e o terceiro, entre a Baixa do Fiscal e Ilha de São João, no município de Simões Filho, com 15,3 quilômetros.

As atuais 10 estações dos trens do Subúrbio serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento. O modal terá capacidade de transportar cerca de 200 mil usuários por dia.













sexta-feira, 4 de maio de 2018

Em Estudos


Minas Gerais
Campinas
Taubaté

Mato Grosso do Sul
Campo Grande

Paraná
Goiânia

Amazonas
Espírito Santo

Bondes Extintos


Alagoas
Maceió
Penedo

Amazonas

Bahia
São Salvador
Cachoeira
Santo Amaro
Espírito Santo
Cachoeiro de Itapemirim
Vila Velha
Vitória

Maranhão
São Luís
Tirirical

Minas Gerais
Campanha
Caxambu
Guarará
Lavras
Mar de Espanha
Nova Lima - Raposos
Ouro Preto
Pedro Leopoldo
Sacramento
São Lourenço
Teófilo Otoni
Ubá

Mato Grosso

Pará
Mosqueiro
Santo Antônio do Prata

Paraíba
Itabaiana
Paraná

Pernambuco
Arcoverde
Afogados da Ingazeira
Carpina
Caruaru
Goiana
Limoeiro
Palmares
Pesqueira
Timbaúba
Triunfo

Piauí
Paraibuna
Teresina

Rio de Janeiro
Barra do Piraí
Campos dos Goytacazes
Itaguaí
Magé - Piedade
Manuel Duarte
Mendes
Nilópolis
Nova Friburgo
Rio de Janeiro
São Gonçalo
Vassouras

Rio Grande do Norte
Natal

Rio Grande do Sul
Bagé
Canoas
Cassino
Rio Grande
São Leopoldo
Uruguaiana

Rondônia
Santa Catarina
Florianópolis
Joinville

Sergipe
Aracaju

São Paulo
Campinas
Campos do Jordão
Franca
Guaratinguetá - Aparecida
Guarujá
Jundiaí
Monte Alto
Piracicaba
Santos
São Carlos
São Paulo
São Vicente
Sorocaba
Taubaté










quarta-feira, 2 de maio de 2018

Niterói

1871 - 1964

Companhia Ferro-Carril Nictheroyense                1871 - 1891
Companhia Cantareira e Viação Fluminense       1891 - 1953
Serviço de Viação de Niterói a São Gonçalo        1953 - 1964

Praia das Flechas e Pedra da Itapuca, por volta de 1885

Praia das Flechas, por volta de 1910




Marcelo Almirante
Página lançada em 2 de maio de 2018










domingo, 15 de abril de 2018

Curityba


Resumo Histórico

Inauguração da primeira linha de bonde de tração animal de Curityba em 8 de novembro de 1887

Gazeta Paranaense - 10/11/1887

"Com notável esplendor e majestosa imponência, teve lugar ante-ontem a inauguração da linha de bonde desta capital. Pouco depois das 11 horas da manhã partiram da estação central da empresa quatro wagons de passageiros e um adrede preparado para música, que era ocupado pela excelente banda do 2.Corpo de Cavalaria. 

No primeiro carro iam o presidente da província, o chefe da polícia e o tenente ajudante de ordens e os representantes dos jornais Dezenove de Dezembro, Diário Popular, República e Gazeta Paranaense. Diversas casas da rua Trajano (B.do Rio Branco) estavam embandeiradas. Chegados os wagons à porta do grande salão, ficaram repletos de convidados e acionistas, em cujo número estão incluídas distintíssimas senhoras de nossa sociedade. Daí dirigiram-se para o boulevard 2 de julho, onde reside o inteligente e laborioso industrial, o sr. Comendador F.Fontana, que preparou uma recepção condigna do acontecimento. Da ponte que fronteia o passeio público até a casa desse distinto cavalheiro, estava a rua adornada de arcos, bandeiras, galhardetes e flores. Tocava aí a banda do 3.Regimento. foi servido um copo d'água, findo o qual S.Excia o Presidente da Província, em conciso e patriótico discurso, declarou inaugurada a linha de bondes desta capital, por cujo motivo se congratulava com a população curitibana e com o digno incorporador e gerente da empresa, o sr Boaventura Fernandes Clapp, a quem por sua atividade extraordinária, lúcida inteligência e admirável tino, mais que a ninguém se deve a realidade desse civilizador melhoramento. 

Falou depois o sr Antonio Ricardo do Nascimento que, com os senhores Antônio Augusto Ferreira de Moura e José Carvalho de Oliveira formavam a comissão nomeada pela Câmara Municipal para representá-la nesse festim do progresso e da civilização. Em seguida o Sr. Clapp, visivelmente comovido, justamente emocionado, agradeceu o significativo e distinto concurso de senhoras e cavalheiros que abrilhantaram a festa, animando-o a continuar a servir esta bela província, à qual já deu seu coração, e declarou manis que aquele de grata satisfação apagava os dissabores que lhe custou a realização de seu desideratum. 

Coincidência digna de nota: foi inaugurada a linha de bonds, que representa o progresso, em frente à casa de um estrangeiro que foi há pouco tempo galardoado pelo Governo Imperial, por serviços prestados a nossa província. 

Dai seguiram os bonds para o Batel, sendo nesse trajeto, nomeadamente na rua do Mato Grosso em diante, entusiasticamente aclamados. Das janelas e das portas de diversas casas foram jogadas, em profusão, flores sobre os bondes. Por quase toda a parte subiam ao ar girândolas e foguetes. Pouco antes de chegar à chácara do Dr.,Muricy foram os bonds recebidos por uma vistosa cavalaria , comandada pelo sr William Withers, o operoso industrial que tanto tem trabalhado pelo progresso de nossa província. 

Foi essa uma manifestação muitissimo significativa: eram operários que vinham com a alma sinceramente aberta saudar com eloquência dos homens do trabalho, que só conheciam as vozes do coração, os primeiros bonds que ali chegavam depois de inaugurada a linha, grato prenúncio de uma vida nova e fecunda em brilhantes resultados. 

A recepção que tiveram os bonds no Batel foi grandiosa, soberba, digna e por isso a pena do escritor pode apenas esboçar palidamente toda a solene majestade do ato. Flores, bandeiras, arcos, música, foguetes e aclamações delirantes formavam um esplêndido concerto de alegrias. Em frente ao lado do importante estabelecimento do sr Withers erguiam-se arcos artisticamente trabalhados, onde estavam gravadas com flores frases simbólicas e nobres, dentre as quais nos recordamos das seguintes: Indústria e Progresso - Paciência e Perseverança etc. 

Parados os bonds no ponto terminal da linha, foram as pessoas presentes delicadamente convidadas pelo nosso amigo Victorino José Correia a entrarem na casa de sua residência. Serviu-se um profuso copo d'água, durante o qual oraram os senhores Leôncio correia e Jayme Ballão, em nome do povo batelense, aos quais agradeceu com frases elevadas e corretas o sr. Clapp. O nosso amigo, Sr victorino Correia e sua digna e exma. consorte, foram incansáveis em prodigalizar atenções, que a todos penhoraram. 

Da casa desse nosso amigo, dirigiu-se a comitiva para a casa do sr Withers, onde teve lugar um suntuoso "lunch", animado por entusiasticos brindes. Falou em nome da imprensa o sr Rocha Pombo, ao qual agradeceu o Sr., Clapp, fazendo salientar a soma de força moral que no seu tentamen adveio do auxílio generoso da imprensa e de sua atitude nesta questão. 

Oraram mais os srs Leoncio Correia, Nivaldo Braga, Dr. Eduardo Gonçalves, Dr. Generoso Marques, Francisco Carvalho de Oliveira, Exmo Dr. Presidente da Província, Jayme Ballão, B.Clapp e Antônio Ricardo do Nascimento, que levantou um brinde de honra a S.M. o Imperador. 

Voltaram os bonds do Batel pouco depois das 2 horas da tarde, sendo precedidos pela garbosa cavalaria. No Batel o nosso amigo Sr. José Francisco Correia ofereceu um lauto e opíparo jantar em honra do grande acontecimento. 

No regresso dos bonds para a cidade foram dados, pelo povo, as mesmas demonstrações de júbilo. Das 4 horas da tarde em diante principiou a vigorar a tabela. 

Os bonds partiam da estação já repleta de povo e as pessoas que pelas ruas os esperavam não puderam ir ao Batel por falta de lugar.

Às 6 e meia da tarde partiu um bonde conduzindo a harmoniosa banda musical União dos artistas, que foi entusiasticamente recebida naquelas poéticas e belas paisagens. Tocou na casa do Sr. Withers, que grandemente empenhou que a festa no Batel tivesse o brilho que todos notaram. Aí dansava-se animadamente. 

Foi uma festa verdadeiramente soberba a da inauguração da linha de bonds desta capital, que perdurará gratamente por muito tempo na memória de quantos tiveram a fortuna de assistir."


Mais informações em PDF


Praça Tiradentes em 1935. Em primeiro plano os "carros de praça",atuais táxis, estacionados junto ao meio-fio. Coleção Cid Destefani

Bonde reformado, com carroceria fabricada em Curitiba, em serviço na Linha do Bacacheri, na Avenida João Gualberto, entrando na atual Avenida Munhoz da Rocha, no Juvevê.


Itinerário de Linha de Bacacheri: Praça Tiradentes, Praça Generoso Marques, Riachuelo, João Gualberto, Juvevê, Estrada da Graciosa (atual Munhoz da Rocha) até a linha da Estrada de Ferro para Rio Branco do Sul, em frente ao Bar e Restaurante Pólo Sul.












quinta-feira, 5 de abril de 2018

Resultado da licitação do VLT é adiado para 25 de abril; empresa irá implantar e operar o transporte

04/04/2018 - Por G1 BA

Nome da empresa escolhida vai ser divulgado na sede da BM & F Bovespa, em São Paulo, a partir das 14h.

Imagem do projeto do VLT em Salvador (Foto: Divulgação/Casa Civil)
Imagem do projeto do VLT em Salvador (Foto: Divulgação/Casa Civil) 

O resultado da licitação para implantação e operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Salvador foi adiado mais uma vez. Agora será anunciado no dia 25 de abril, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, a partir das 14h. A informação é da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom).

Inicialmente, a empresa que iria implantar e operar o transporte seria anunciada nesta quarta-feira (4). Entretanto, a Secom informou que o Governo do Estado decidiu adiar o resultado do processo licitatório por considerar grande o número de consultas e dúvidas que ainda estão sendo esclarecidas pelas empresas interessadas.

A decisão do adiamento foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) de 29 de março.

Adiamentos

Após uma série de suspensões desde o lançamento em 2015, o edital de construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Salvador, foi relançado em janeiro deste ano. O contrato será por meio de Parceria Público-Privada (PPP).

O projeto prevê a substituição dos trens que ligam o bairro de Paripe à Calçada, num percurso de 13,6 km. Com o novo modal de transporte, o sistema deve ser ampliado e se estender entre a Avenida São Luiz, em Paripe, e o bairro do Comércio. São 4,9 km a mais de trilhos, que, integrados aos existentes, farão o VLT percorrer um total de 18,5 km de extensão e 22 estações.

O valor de investimento estimado é de R$ 1,5 bilhão. As obras serão iniciadas 90 dias após a assinatura do contrato, com prazo de 24 meses para conclusão.

Diferente do atual sistema que liga o subúrbio à Calçada, o VLT é composto por trens mais leves. A perspectiva é de beneficiar, diretamente, os mais de 600 mil moradores do Subúrbio Ferroviário de Salvador. A capacidade diária do modal é de transportar 100 mil usuários.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Porto Alegre



Praça XV, por volta de 1930

Praça XV, esquina da Avenida Otávio Rocha com rua Marechal Floriano Peixoto. Fundo Correio da Manhã / Arquivo Nacional.