domingo, 15 de abril de 2018

Curityba


Praça Tiradentes em 1935. Em primeiro plano os "carros de praça", atuais táxis, estacionados junto ao meio-fio. Coleção Cid Destefani
LINK 






quinta-feira, 5 de abril de 2018

Resultado da licitação do VLT é adiado para 25 de abril; empresa irá implantar e operar o transporte

04/04/2018 - Por G1 BA

Nome da empresa escolhida vai ser divulgado na sede da BM & F Bovespa, em São Paulo, a partir das 14h.

Imagem do projeto do VLT em Salvador (Foto: Divulgação/Casa Civil)
Imagem do projeto do VLT em Salvador (Foto: Divulgação/Casa Civil) 

O resultado da licitação para implantação e operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Salvador foi adiado mais uma vez. Agora será anunciado no dia 25 de abril, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, a partir das 14h. A informação é da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom).

Inicialmente, a empresa que iria implantar e operar o transporte seria anunciada nesta quarta-feira (4). Entretanto, a Secom informou que o Governo do Estado decidiu adiar o resultado do processo licitatório por considerar grande o número de consultas e dúvidas que ainda estão sendo esclarecidas pelas empresas interessadas.

A decisão do adiamento foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) de 29 de março.

Adiamentos

Após uma série de suspensões desde o lançamento em 2015, o edital de construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Salvador, foi relançado em janeiro deste ano. O contrato será por meio de Parceria Público-Privada (PPP).

O projeto prevê a substituição dos trens que ligam o bairro de Paripe à Calçada, num percurso de 13,6 km. Com o novo modal de transporte, o sistema deve ser ampliado e se estender entre a Avenida São Luiz, em Paripe, e o bairro do Comércio. São 4,9 km a mais de trilhos, que, integrados aos existentes, farão o VLT percorrer um total de 18,5 km de extensão e 22 estações.

O valor de investimento estimado é de R$ 1,5 bilhão. As obras serão iniciadas 90 dias após a assinatura do contrato, com prazo de 24 meses para conclusão.

Diferente do atual sistema que liga o subúrbio à Calçada, o VLT é composto por trens mais leves. A perspectiva é de beneficiar, diretamente, os mais de 600 mil moradores do Subúrbio Ferroviário de Salvador. A capacidade diária do modal é de transportar 100 mil usuários.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Porto Alegre


Praça Quinze de Novembro, esquina da Avenida Otávio Rocha com rua Marechal Floriano Peixoto. Foto:Fundo Correio da Manhã / Arquivo Nacional.


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

São Paulo na década de 1930



Cartão Postal . Fundo Correio da Manhã, Arquivo Nacional



domingo, 11 de fevereiro de 2018

Cachoeiro de Itapemirim - ES (1925-1938)

Década de 1930



Governo do Estado está autorizado a seguir com edital para concluir VLT

09/02/2018 - Só Notícias

Com a decisão administrativa do governador Pedro Taques de manter a rescisão unilateral do contrato firmado para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos em Cuiabá e Várzea Grande, a Secretaria de Estado das Cidades está autorizada a retomar a elaboração do edital para contratação de um novo consórcio que irá tocar as obras do modal. Os trâmites estavam parados devido à liminar concedida em janeiro pela desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Helena Maria Bezerra Ramos, que suspendeu provisoriamente o rompimento contratual com o Consórcio VLT.

Na liminar, a magistrada ressaltou que a rescisão unilateral permaneceria suspensa somente até a apreciação pelo governador Pedro Taques do recurso interposto pelo consórcio na esfera administrativa. A rescisão foi mantida pelo Governador do Estado, em decisão que circulou no Diário oficial no último dia 5 de fevereiro.

Sob o aspecto jurídico, segundo o procurador do Estado, Carlos Eduardo Bomfim, que atua na secretaria das Cidades, o processo deve perder seu objeto, o que já foi requerido pela PGE para a Desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, viabilizando assim que o Estado possa continuar o processo de contratação de uma nova empresa para implantar o VLT entre Cuiabá e Várzea Grande.

A elaboração do edital e o processo rescisório do contrato com o consórcio está sendo conduzido por uma comissão mista constituída por representantes da Secretaria de Estado de Cidades, Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e Controladoria-Geral do Estado (CGE) e instituída em outubro de 2017. A partir de agora, essa comissão volta a dar andamento nos trabalhos da Concorrência Pública que possibilitará a retomada e conclusão das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos, bem como na condução da medição rescisória com o Consórcio VLT.

Nessa fase, conforme o procurador Bomfim, o governo estadual, via comissão, fará uma espécie de inventário, ou seja, um levantamento de todos os serviços executados pelas empresas ligadas à implantação do modal, levando em consideração a parte de obras e dos equipamentos.

Também haverá a condução de outros itens do processo de rescisão como a aplicação de penalidades e multas. Na decisão administrativa, o Estado condenou, por exemplo, as empresas responsáveis pela instalação do VLT ao pagamento de uma multa no valor de 10% do contrato, no montante de R$ 147,76 milhões e outras sanções.  “Diante da rescisão unilateral posta, a sanção de multa de 10% do valor do contrato administrativo, prevista no instrumento contratual, é medida razoável e proporcional, diante da gravidade dos ilícitos administrativos praticados”, expõe Taques, em seu despacho no diário oficial.

Em outubro de 2017, o Governo do Estado de Mato Grosso decidiu criar uma Comissão Processante para instaurar processo administrativo, com o objetivo de rescindir unilateralmente o contrato com o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande. A publicação da Portaria Conjunta 01/2017 foi assinada pelo secretário Wilson Santos, Rogério Gallo (então procurador-geral do Estado) e pelo controlador-geral de Mato Grosso, Ciro Rodolpho Gonçalves.

A decisão de instaurar processo administrativo para apurar infrações contratuais praticadas pelo Consórcio VLT ocorreu após o Governo tomar conhecimento de fatos que se tornaram público com a Operação Descarrilho, desencadeada pela Polícia Federal em agosto de 2017. A operação investigou indícios de acertos de propina com representantes de empresas integrantes do Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande. Os ilícitos vieram à tona após delação do ex-governador Silval Barbosa.

Diante dos fatos, até então desconhecidos dos membros do atual Governo, a Comissão instituída pelo Governo do Estado no ato do processo administrativo concluiu pela ocorrência de práticas caracterizadoras de rescisão contratual como atos de inidoneidade consistentes no pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos, subcontratação com irregularidade e cumprimento irregular de cláusulas do contrato.

O parecer da comissão para o rompimento do contrato com o Consórcio VLT, dado em dezembro de 2017, foi acolhido, integralmente, pelo secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos, após respeito aos princípios da ampla defesa e do contraditório. A decisão impôs ao consórcio além da rescisão, multa e tornou as empresas participantes inidôneas.

Em janeiro, o Consórcio VLT contestou a decisão e interpôs um recurso administrativo, solicitando a suspensão do processo rescisório, bem como a declaração de inidoneidade.

Em seu despacho, este mês, o governador, acolhendo recomendações da Procuradoria Geral do Estado (PGE), decidiu por ratificar a rescisão unilateral do contrato, as multas e sanções aplicadas. Porém, deu provimento parcial ao recurso do consórcio suspendendo a declaração de inidoneidade das empresas integrantes. Além disso, ressaltou em seu despacho que durante o processo administrativo foi dado ao contratado amplo direito de defesa, um dos pontos alegados no recurso.

A informação é do Gabinete de Comunicação

sábado, 6 de janeiro de 2018

Número de passageiros no VLT de Sobral cresce 12,15%

05/01/2018 - Governo do Estado do Ceará

O VLT de Sobral registrou aumento de 12,15% no número de passageiros no segundo semestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano anterior. No total, foram 307.702 pessoas transportadas de julho a dezembro de 2017, em comparação com 274.361 passageiros no mesmo período de 2016. 

As recentes iniciativas para a redução da tarifa e os avanços operacionais realizados em 2017 explicam o crescimento da demanda. Com a implantação da operação comercial, em dezembro de 2016, o horário de funcionamento foi ampliado e agora o VLT funciona de 5h30 às 23h. Logo em seguida, os passageiros passaram a dispor de descontos na aquisição de pacotes de tarifa. Em setembro do ano passado, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos e a Prefeitura de Sobral, conveniadas, conseguiram reduzir a tarifa, de R$ 3 para R$ 1. 

A partir dessa redução, o número de passageiros aumentou mês a mês. De agosto para setembro, o aumento foi 114%. De setembro pra outubro, o número de passageiros aumentou 101%. Atualmente, por dia útil, aproximadamente 3.700 pessoas utilizam o equipamento. 

O VLT de Sobral é formado por duas linhas (Sul e Norte) que passam pelos principais bairros e regiões da cidade. Juntas, as duas linhas formam 13,9 quilômetros de extensão e possuem 12 estações. Os horários das viagens nas duas linhas do VLT de Sobral podem ser consultados no site do Metrofor. 

SERVIÇO 

VLT DE SOBRAL 
R$ 1 (inteira) | R$ 0,50 (meia) 
Horário de funcionamento: 5h30 às 23h