segunda-feira, 4 de junho de 2018

Magé

Magé - Santo Aleixo
1915 - 1934

Resumo Histórico

Em abril de 1909, é inaugurada a estrada de rodagem entre Magé e o distrito de Santo Aleixo, com 12 Km de extensão, uma das mais modernas do país, toda macadamizada. A estrada foi construída pelos proprietários das  fábricas Companhia de Fiação e Tecidos Mageense, localizada em Magé, e da Fábrica Andorinha, localizada em Santo Aleixo, para o transporte de cargas, principalmente algodão, entre as duas fábricas. 

Mais tarde, adaptando um caminhão, o mesmo grupo implanta uma linha de bonde a gasolina entre Magé e Santo Aleixo, para o transporte de cargas e passageiros, que funcionou entre 1915 e 1934. A linha foi extinta após a venda da Fábrica Andorinha.

Em 1931, a Companhia Melhoramentos Santo Aleixo - Magé, com 3 carros, já tinha inaugurado a primeira linha de ônibus de Magé, entre a sede do Município e o Distrito de Santo Aleixo.

Bonde Magé - Santo Aleixo. Acervo Edson Golinelhi


REFERÊNCIAS:

“Routes et Automobiles”. L´Etoile du Sud. 1909, abril, 18. Página 2

FIGUEIREDO, Joana Lima. Fábrica Santo Aleixo: Magé, Arte e Patrimônio da Industrialização (1847-1979). Universidade Fluminense. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Arte. Niterói, 2008.


Marcelo Almirante
Página lançada em 4 de junho de 2018










domingo, 27 de maio de 2018

Campina Grande


Resumo Histórico

Em 1926, é inaugurado o serviço de bondes, com motor a gasolina. 


Marcelo Almirante
Página lançada em 27 de maio de 2018










Joinville


Resumo Histórico

No dia 29 de janeiro de 1911, a Companhia Ferro Carril Joinvillense inaugura o serviço de bonde de tração animal,  com 4,5 Km de linhas, 8 carros com capacidade para 16 passageiros cada, e trilhos importados da Europa. 

O serviço é extinto no dia 10 de abril de 1917.


Marcelo Almirante
Página lançada em 27 de maio de 2018










Florianópolis


Resumo Histórico

No dia 5 de junho de 1909, inauguração da primeira linha de bonde de tração animal, ligando o Centro ao bairro das Pedras Altas. 

No dia 11 de agosto de 1909, extensão da linha de bonde de tração animal da estação Central à estação agrícola. 

Em 1910, no dia 21 de dezembro, é inaugurado o prolongamento para o arrabalde de Tranqueira. 

O Serviço de bondes é extinto em meados dos anos 30 devido a concorrência dos automóveis e auto-ônibus. 


Marcelo Almirante
Página lançada em 27 de maio de 2018










São Lourenço


Resumo Histórico

Em 1905, inauguração do serviço de bonde de tração animal, com 2,3 km de extensão, ligando o centro à estação de trem. 

A linha é extinta no início da década de 1930, devido à concorrência de ônibus e automóveis. 


Marcelo Almirante
Página lançada em 27 de maio de 2018










sábado, 26 de maio de 2018

Governo divulga consórcio que vai implantar VLT do Subúrbio


23/08/2018 - Correio 24 Horas

O Consórcio Skyrail Bahia, composto pelas empresas Build Your Dreams (BYD Brasil) e Metrogreen, foi o vencedor da licitação para implantar e operar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Subúrbio Ferroviário de Salvador. O modal metropolitano ligará a região do Comércio de Salvador até a Ilha de São João, no município de Simões Filho. O investimento total previsto é de R$ 1,5 bilhão.

A aprovação da proposta econômica foi realizada no modelo de Parceria Público Privada (PPP), com desconto de 0,01% na contraprestação anual, que será de R$ 152.977.352,12. O projeto vencedor foi analisado e aprovado pela Comissão de Licitação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), referente às Condições de Participação, Garantia da Proposta e Qualificação Técnica Operacional.

Com isso, o consórcio liderado pela BYD Brasil, organização global especializada em energia limpa e atuante em 250 países, foi declarado totalmente apto para a concessão do modal, que será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente.

O edital garante a integração física do VLT com o sistema de metrô. Nesse sentido, o consórcio vencedor pretende, com investimento adicional, implantar trecho de ligação até o Retiro, ao mesmo tempo que o trecho Ilha de São João/Comércio estará em construção, passando pela Estação da Calçada. Dessa forma, será viável o funcionamento dos modais em um sistema de rede, através de serviços complementares.

O leilão, realizado nesta quarta-feira (23), na sede da Brasil Bolsa Balcão – B3 (fusão da BM&BOVESPA e Cetip), em São Paulo, teve a participação dos secretários estaduais da Casa Civil, Bruno Dauster, e de Desenvolvimento Urbano, Demir Barbosa. O procurador-geral do Estado, Paulo Moreno, e o presidente da Companhia de Transporte da Bahia, Eduardo Copello, também estiveram presentes.

“Salvador, uma das maiores cidades do país, precisa de um transporte público adequado para sua população. Avançamos muito com o metrô e com as novas vias estruturantes. Agora, vamos poder oferecer um transporte público de qualidade, seguro e confortável para quem mora, trabalha ou estuda em toda região do Subúrbio”, afirmou Dauster.

Já o secretário de Desenvolvimento Urbano destacou os próximos passos a partir da decisão desta quarta-feira (23). “Agora, seguiremos os trâmites legais para homologação da concorrência e assinatura do contrato da PPP, o que já deve ocorrer em julho”, disse Demir.

Em seguida, o cronograma dos trabalhos preliminares será iniciado, incluindo as interferências na poligonal onde será implantado o VLT, com instalação do canteiro de obras e outros procedimentos. Assim, as obras devem ser iniciadas em outubro, cerca de 90 dias após a assinatura do contrato.
Veículo Leve sobre Trilhos

O VLT, que irá substituir o atual Trem do Subúrbio, terá 19,9 quilômetros de extensão, com 22 estações. Estão previstas intervenções por trechos: o primeiro, entre o Comércio e a estação da calçada, com 3,5 quilômetros; o segundo, entre Calçada e Baixa do Fiscal, com 1,1 quilômetro; e o terceiro, entre a Baixa do Fiscal e Ilha de São João, no município de Simões Filho, com 15,3 quilômetros.

As atuais 10 estações dos trens do Subúrbio serão desativadas e reaproveitadas para prestação de outros serviços à comunidade, como postos da Polícia Militar e centros de atendimento. O modal terá capacidade de transportar cerca de 200 mil usuários por dia.