domingo, 20 de maio de 2012

Valor de propostas para construir VLT supera previsão do governo em MT

17/05/2012 - G1

Quatro consórcios apresentaram valores acima de R$ 1,2 bilhão.
Meta do governo é anunciar vencedor nos próximos 10 dias.

Dhiego Maia

Consórcios ofereceram preços acima do governo
para erguer VLT 

(Foto: Edson Rodrigues/Secopa)

Propostas de quatro consórcios interessados em construir o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) nas ruas e avenidas de Cuiabá e Várzea Grande, na região metropolitana, para a Copa do Mundo de 2014, apresentaram nesta terça-feira (15) um preço final para erguer o empreendimento em 24 meses.
O menor valor apresentado foi o do consórcio VLT Cuiabá. Composto pelas empresas CR Almeida, Santa Bárbara e Astep, o consórcio propôs construir o VLT por um valor de R$ 1,477 bilhão, cerca de R$ 200 milhões acima do fixado pelo governo de Mato Grosso, estabelecido em até R$ 1,2 bilhão. O valor mais alto foi oferecido pelo consórcio Expresso Verde, que congrega empresas do estado e até uma da China. O consórcio propôs R$ 1,850 bilhão para construir o VLT.
Para o representante do consórcio VLT Cuiabá, Ricardo Sanches, agora é só esperar o anúncio do ganhador. "Fizemos uma avaliação técnica e chegamos a esse preço", afirmou. Outras duas propostas foram apresentadas pelos consórcios Mendes Júnior/Altom e Tranvia Cuiabá. Os valores divulgados pelos dois consórcios para a obra são R$ 1,547 bilhão e R$ 1,596 bilhão, respectivamente.
saiba mais
VLT é licitado e obra deve iniciar ainda neste semestre em MT, diz secretário
Revogada liminar que suspendeu licitação para obra do VLT em Cuiabá
Empresários reclamam de valores de desapropriações para Copa em MT
Caixa libera R$ 423 milhões para VLT da capital de MT, confirma governo
As propostas oferecidas pelos consórcios surpreenderam a cúpula do governo do estado. Segundo o secretário extraordinário da Copa em Mato Grosso, Maurício Guimarães, assim que for anunciado o consórcio executor das obras, o valor do VLT será reajustado. "Estamos com recurso garantido nesse valor (R$ 1,2 bilhão). Feita a finalização do processo nós vamos discutir de que forma vamos fazer essa complementação. O governador anunciará isto quando finalizar o processo licitatório e o valor final quando a licitação for divulgada", ressaltou o secretário.
O secretário-chefe da Casa Civil, José Lacerda, complementou que o reajuste não vai prejudicar a capacidade de endividamento do estado. "As propostas serão estudadas e quando sair a empresa vencedora, o estado vai fazer a complementação orçamentária. O estado está com a sua capacidade de endividamento no nível ideal", reforçou Lacerda.
Mais ágil
A licitação do VLT é realizada via Regime Diferenciado de Contratação (CRD). Modalidade licitatória considerada mais simples e ágil, as propostas dos consórcios serão analisadas em dois aspectos: preço e projeto técnico. De acordo com Guimarães, vai levar vantagem quem tiver o melhor detalhamento técnico da construção do VLT em projeto. As empresas também serão avaliadas pelo desempenho em outras obras já executadas, solução apresentada para o modal e prazo de execução. Quem tiver a melhor pontuação final vai vencer o processo licitatório.
De acordo com o representante do consórcio Expresso Verde, Pedro Augusto Moreira, o maior preço ofertado é uma consequência das intervenções viárias que serão necessárias durante a execução do projeto. "Quem ofertou os preços menores deve ter alguma condição melhor para poder compor o preço e poder cumprir o cronograma. O preço mais alto é consequência da nossa planilha de custo. A exigência do edital é cumprir prazos. Essa obra vai mexer com toda infra-estrutura das duas cidades", disse Moreira.
Ainda de acordo com Guimarães, um grupo composto por 10 servidores técnicos da Secopa será responsável por analisar as propostas. O anúncio da proposta vencedora deve sair em 10 dias. Após o anúncio será dado mais cinco dias para constestação do resultado. A meta do governo é que as obras tenham início ainda neste semestre.
VLT

O VLT é considerado a maior obra pública de Mato Grosso na atualidade. Ao longo dos 22,2 Km do trajeto do VLT, serão necessárias intervenções viárias como a construção de cinco viadutos, três trincheiras e três pontes. Com dois eixos, CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro, o modal será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), FEB, 15 de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa. Serão três terminais de integração e 33 estações, que terão uma distância média de 500 a 600 metros entre um ponto e outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário