sábado, 8 de junho de 2013

Custo do VLT será todo do poder público

08/06/2013 - O Popular

A obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) será bancada com recursos públicos e deverá custar mais do que R$ 1,3 bilhão. De acordo com cálculos do governo estadual, 91,8% dos recursos que bancarão o empreendimento serão de empréstimos – inclusive os R$ 495 milhões a cargo do grupo que vencer a licitação.

“O Estado vai pagar o recurso privado. A parceria público privada (PPP) patrocinada significa isso: você põe o dinheiro e eu te retorno depois. Você está me emprestando, praticamente”, afirma o presidente do grupo executivo que coordena a implantação do VLT, Carlos Maranhão. Todos os empréstimos têm juros, que encarecerão o custo do dinheiro usado na obra. Apenas R$ 107 milhões do total não terão de ser pagos, pois serão do governo federal a fundo perdido.

Fonte: Jornal O Popular

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Governo do MT nega atrasos e assegura VLT até a Copa

07/06/2013 - O Documento

Secretário da Copa nega risco de o VLT de Cuiabá-Vargem Grande não ser concluído até 2014, conforme apontou estudo da ANPTrilhos nesta semana

O secretário da Copa, Maurício Guimarães, descartou o resultado do relatório divulgado na terça-feira (4) pela Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), de que nenhuma das obras de mobilidade urbana sobre trilhos ficarão prontas para receber a Copa do Mundo de 2014.

Para o secretário, existe um contrato com cronograma previsto para entregar as obras em 16 de março de 2014, e que se existe qualquer risco do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) não ficar pronto, o consórcio é que deve realizar o anúncio. “Não concordo com o relatório da ANPTrilhos porque a empresa não me mostrou indicadores de atrasos; logo, as obras estarão concluídas a tempo de receber o Mundial”, enfatizou.

A ANPTrilhos informou que o balanço da implantação das obras é “desalentador”. O relatório da associação é coerente com o relatório sobre o andamento das obras da Copa divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) também na última terça (4).

Conforme o TCE, há um ano e meio para a realização do Mundial, Mato Grosso concluiu apenas 34,8% das obras previstas, sendo que as obras do VLT atingiram pouco mais de 27% do total a ser executado, o que representa metade do que estava previsto no contrato original.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Secopa executou 27,6% das obras do VLT em Cuiabá e VG

06/06/2013 - Mídia News

Obra apresenta atraso no cronograma que varia de 150 a 180 dias 

Até agora, 27,6% das obras para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na Grande Cuiabá foram executadas, segundo o 4º relatório de avaliação físico-financeira da obra, divulgado na última terça-feira (4) pelo Tribunal de Contas do Estado.

Segundo o documento, que tem como referência os serviços executados pelo Consórcio VLT Cuiabá até o dia 30 de abril deste ano, o atraso na obra varia de 150 a 180 dias. Isso porque, até esta data, o previsto era que 54,95% dos trabalhos estivessem concluídos.

Tal atraso comprometeria o cumprimento do cronograma já divulgado pela Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), que prevê a entrega da obra em 13 de março de 2014.

Para o procurador-geral do Ministério Público de Contas (MPC), William Brito, que acompanhou a apresentação do relatório, não há como o Governo do Estado garantir a entrega da obra antes da realização do Mundial de Futebol.

“Apesar da Secopa ser otimista, achamos que não vai ficar pronto. O previsto era que metade da obra já estivesse concluída e o que vemos é que há um atraso significativo no cronograma”, avaliou.

Cauteloso, o conselheiro Antônio Joaquim, relator das contas da Secopa no TCE, preferiu não fazer projeções a respeito da obra, dizendo ser muito cedo para avaliar se será possível o trabalho ser concluído a tempo.

“A situação é grave, mas não é insolúvel. Os ritmos das obras foram incrementados nos últimos meses e acredito que no final de julho poderemos fazer uma projeção melhor e mais segura sobre o andamento da obra”, afirmou.

Orçada em R$ 1,477 bilhão e iniciada no 2º semestre do ano passado, a obra já consumiu R$ 407,8 milhões do investimento previsto pelo Governo do Estado.

Avanço

As obras do VLT avançaram bastante em relação ao último relatório apresentado pelo TCE, com recorte em 30 de março deste ano.

O documento aponta que, em apenas 30 dias, houve um avanço de 13,42% nas obras de implantação do modal, o que é visto como um ponto positivo a favor do consórcio responsável pela execução do projeto.

A obra

O consórcio VLT Cuiabá é responsável não apenas pela implantação do modal e a construção dos vagões, como também pela construção de 12 obras de arte (três pontes, quatro trincheiras e cinco viadutos) por todo o trajeto onde o VLT irá passar.

Previsto para ser implantado em dois eixos (CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro), que somam 22,2 km de extensão, o VLT deverá passar pelos canteiros centrais das principais avenidas de Cuiabá e Várzea Grande: Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), FEB, XV de Novembro, Tenente-Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa.

O VLT contará com três terminais de integração e 33 estações de embarque e desembarque, com distância média de 600 metros entre um ponto e outro.

Em execução

Atualmente, estão em andamento em Cuiabá as obras dos viadutos da UFMT e da MT-040, na Avenida Fernando Corrêa da Costa; do viaduto da Sefaz, na Avenida do CPA; o reforço do Canal da Prainha, na Avenida Tenente-Coronel Duarte; e a adequação da Avenida Coronel Escolástico para implantação dos trilhos do VLT.

Já em Várzea Grande, já tiveram início as obras de construção da Trincheira do KM Zero, na Avenida da FEB; do viaduto do Aeroporto, na Avenida João Ponce de Arruda; do Centro de Comando, Controle e Manutenção do VLT, na área onde se localizava a Vila Militar (ao lado do Aeroporto Internacional Marechal Rondon); e a adequação da Avenida João Ponce de Arruda para a implantação dos trilhos.

Vagões

Segundo a Secopa, dois dos 40 carros que compõem o VLT de Cuiabá devem chegar à Capital entre o final de julho e o início de agosto deste ano.

Formados por sete módulos cada um e com capacidade para transportar até 400 passageiros por carro, os veículos estão sendo construídos na Espanha.

http://midianews.com.br/conteudo.php?sid=14&cid=161529