terça-feira, 15 de outubro de 2013

Governador admite que VLT de Cuiabá não ficará pronto no prazo

15/10/2013 - Midia News

Obras do eixo CPA-Aeroporto, com cerca de 15 km, serão priorizadas, promete o governador do MT Silval Barbosa

Laíse Lucatelli

Em julho, 37,9% da obra do VLT estava pronta

O governador Silval Barbosa (PMDB) admitiu, publicamente, pela primeira vez, que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que passará por Cuiabá e Várzea Grande, pode não ficar inteiramente pronto para a Copa do Mundo de 2014.

Ele informou que o governo já trabalha com a certeza que a obra não será entregue no prazo previsto no contrato, que é de março de 2014.

"O contrato do VLT é para março, mas sabemos que não vai ficar pronto até março. Vamos tentar que fique pronto até a Copa do Mundo. Se não ficar pronto, vai ficar faltando muito pouco, quase todo o VLT estará funcionando", disse Silval, em entrevista no Aeroporto Marechal Rondon, nesta segunda-feira (14), após visita às obras da Copa com a subcomissão do Senado de acompanhamento da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016.

Por conta disso, o governo vai priorizar o eixo Aeroporto-CPA, que terá cerca de 15 km de trilhos, e será utilizado para desembarque de turistas e para facilitar o acesso à Arena Pantanal. A Linha 2 (Centro-Coxipó), com cerca de 7 km, será concluída depois.

"Espero que todas as linhas do VLT fiquem prontas antes da Copa. Mas se não ficar, a prioridade é o eixo central, do Aeroporto até o Comando-geral da Polícia Militar [na Avenida do CPA]", completou o governador.

O secretário da Copa 2014 (Secopa), Maurício Guimarães, disse que o governo "está disposto a conversar" com o Consórcio VLT Cuiabá (Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda, Astep Engenharia Ltda) para esticar o prazo da obra, caso haja demanda por parte das empresas.

De acordo com o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a última medição, feita em julho deste ano, constatou que 37,9% da obra do VLT estava pronta. O valor global da obra é de R$ 1,57 bilhão.

Troca de comando
O senador Blairo Maggi (PR) lembrou que os recursos para conclusão das obras estão garantidos mesmo que elas não fiquem prontas a tempo para a Copa, que começa em 12 de junho de 2014. A garantia vem da resolução aprovada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal em março deste ano.

"Alteramos a regra para garantir que as obras iniciadas nesse período, não concluídas até a Copa do Mundo, pudessem ser feitas dentro do programa da Copa. Quando depende só de você, você sabe quando a obra começa e termina. Mas no Brasil há a guerra do papel, várias intercorrências, muita gente dando palpite. Para mim é natural esse tipo de atraso", disse.

Em seu governo, Maggi optou pelo Bus Rapid Transit (BRT), um tipo de corredor de ônibus, como modelo de transporte troncal para a Copa em Cuiabá. Porém, com a troca de governo, Silval Barbosa optou pelo VLT, sob o argumento de que seria um transporte mais moderno, eficiente, e de menor impacto sobre a urbanização da Capital.

"Quando há troca de comando, troca a forma de governar e as prioridades. Eu não faria o VLT. Quando definimos pelo BRT é porque o VLT seria caro e não haveria tempo hábil para a Copa do Mundo. Mas o governador Silval e sua equipe tomaram essa decisão e agora está feito. Ele está se propondo a fazer um meio de transporte eficiente, barato, moderno. O que temos que fazer é torcer para funcionar", concluiu.

Leia também:
Parte do VLT não deve ficar pronta, diz ministro
Mais de 1.600 árvores são retiradas de avenidas para obras da Copa em MT
Após um ano, menos de 40% das obras do VLT são concluídas em MT

Nenhum comentário:

Postar um comentário