terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O VLT em Cuiabá não anda um metro sequer antes da Copa

24/01/2014 - Mídia News

Em entrevista ao programa Conexão Poder, prefeito sugere falta de planejamento nas obra

O prefeito Mauro Mendes (PSB) criticou o Governo do Estado pelo que considerou "falta de planejamento" na execução das obras de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na área metropolitana de Cuiabá (Capital e Várzea Grande).

"O VLT não anda um metro sequer, antes da Copa do Mundo", disse Mendes (PSB), durante entrevista ao programa "Conexão Poder", que a TV Rondon (SBT/5) exibirá na noite de domingo (26), após a apresentação do programa "Sílvio Santos".

"Sou engenheiro de formação e vejo que é o cúmulo termos um trecho em Várzea Grande sendo construído há dois anos. E ainda não tem nem a metade concluída. Como vão fazer o resto em quatro meses"?, observou prefeito, na entrevista.

"Ainda não há nenhuma estação sendo erguida e nenhum trilho foi colocado. Trancaram a Avenida Coronel Escolástico por vários meses e nada foi feito ali. Eu que tive que mandar reabrir", disse Mendes.

Segundo ele, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), demorou a admitir que não dá para fazer uma obra de tamanha envergadura EM poucos meses, como prometeram a própria pasta e o consórcio de construtoras responsável pela obra.

De qualquer forma, o prefeito disse que "torce" para que o VLT fique pronto. "Não importa a data, mas vou torcer para que a obra fique pronta", afirmou.

Cronograma

Conforme MidiaNews informou, após admitir que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) não ficará pronto de acordo com o cronograma, o Governo do Estado afirmou que espera concluir, até a Copa do Mundo, a implantação do modal no trecho que vai do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, até a região do Porto, em Cuiabá.

Segundo o secretário da Copa, Maurício Guimarães, o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, responsável pela execução do projeto de R$ 1,477 bilhão, deverá concluir todo o projeto – nos eixos 1 (Aeroporto-CPA) e 2 (Coxipó-Centro) – até o final deste ano. O prazo extra foi concedido pelo Governo do Estado.

"Estamos priorizando para que tenhamos efetivamente concluída a via permanente até o Porto, e esperamos a conclusão total [da obra do VLT] para o final deste ano. O projeto continua o mesmo e, durante a Copa, as obras irão prosseguir nos locais que não impactam diretamente a logística do evento, como na [Avenida] Fernando Corrêa. Não paramos por causa da Copa do Mundo", disse.

Segundo Guimarães, a instalação dos 10 km de trilhos específicos para o Centro de Manutenção e Operação do VLT, localizado na antiga Vila Militar (próximo ao aeroporto), já está em fase final e, na sequência, o consórcio dará início à implantação da via permanente na Avenida João Ponce de Arruda, em Várzea Grande.

"Precisamos da finalização de alguns detalhes de drenagem para que possamos começar. A nossa meta é de que nós iniciemos esse trabalho, se não dentro deste mês, até o início de fevereiro", disse.

O sistema

O VLT terá 33 estações em duas linhas troncos e a maior vai ligar o CPA ao Aeroporto.

A outra linha sairá da Avenida Fernando Correa da Costa até a Praça Bispo Dom José, na Avenida da Prainha, onde haverá integração entre as duas linhas troncos. Serão 22,2 quilômetros de trilhos.

Fonte: Midia News

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Alstom Transport irá inaugurar uma nova linha de produção de VLTs no Brasil

17/01/2014 - Alstom

A Alstom Transport vai inaugurar uma nova linha de produção dedicada a VLTs em Taubaté, em São Paulo, que entrará em operação a partir de dezembro de 2014. Baseada na atual unidade de geração de energia hidrelétrica do grupo em Taubaté, a nova linha de fabricação atenderá aos mercados brasileiro e latino-americano, onde os projetos estão a todo vapor. A linha, que representa um investimento de cerca de 15 milhões de euros, irá cobrir uma área de 16.000m².

Os primeiros VLTs que deverão ser produzidos em Taubaté são aqueles encomendados[1] em setembro de 2013 pelo consórcio VLT Carioca para a cidade do Rio de Janeiro. A Alstom está fornecendo um sistema de VLT livre de catenárias, que inclui 32 Citadis além de abastecimento de energia, sinalização e sistemas de telecomunicações. A entrega dos VLTs deve ocorrer entre o início de 2015 e meados de 2016, a tempo para os Jogos Olímpicos. Para atender ao prazo contratual, a Alstom produzirá os primeiros Citadis na Europa e os demais em Taubaté.

"O VLT está ganhando importância como uma das soluções para os problemas de mobilidade urbana nas cidades do Brasil e da América Latina. É por isso que a Alstom decidiu investir em uma linha de VLTs em Taubaté, que atenderá aos projetos brasileiros, além de projetos exportados para a América Latina," afirmou Michel Boccaccio, Vice-Presidente Sênior da Alstom Transport na América Latina.

A Alstom já vendeu 1726 Citadis para 43 cidades ao redor do mundo. 1500 já estão em circulação e já transportaram mais de 6 bilhões de passageiros.

PS: O valor total do projeto é de €450 milhões; a participação da Alstom é de cerca de €230 milhões

Fonte: Alstom
Publicada em:: 17/01/2014

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Começa interdição da ponte Júlio Muller para obras do VLT

06/01/2013 - O Documento

Ponte Júlio Muller, no bairro Porto, que liga Cuiabá e Várzea Grande deve começar a ser interditada parcialmente nos próximos dias, no sentido Várzea Grande-Cuiabá, para avanço das obras de para passagem do VLT sobre o rio Cuiabá.

Com o bloqueio, motoristas que trafegam pela avenida da FEB sentido Cuiabá deverão seguir pelas pontes Sérgio Motta, Mário Andreazza e Maria Elisa Bocaiúva, conhecida como Ponte Nova. As obras fazem parte do pacote previsto para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) nas duas cidades, com vistas à Copa do Mundo de 2014.

As obras de construção da nova ponte (à jusante) sobre o rio Cuiabá iniciaram em junho. A ponte terá cerca de 350 metros e será usada para o tráfego de veículos.

Para facilitar o tráfego nos desvios, a Secopa realizou o recapeamento de importantes vias nos bairros Alameda, Cristo Rei, Construmat, Manga e Ponte Nova.

Rotas sugeridas – Canteiro central logo após o viaduto Dom Orlando Chaves foi cortado e irá permitir para aqueles que estão na FEB ou nos bairros Cristo Rei e Manga, realizem a conversão à esquerda para acessar as ruas Sarita Baracat e Lambari, em direção a Ponte Nova e avenida Miguel Sutil.

O condutor, a partir desse local, poderá acessar a avenida Beira Rio, as ruas Barão de Melgaço e Dom Luiz de Castro seguindo seu destino.

No entroncamento com a avenida Dom Orlando Chaves, foi feito segundo corte no canteiro central da FEB. Motoristas que vêm da avenida Dom Orlando para entrar na FEB poderão cruzar a avenida, também para acessar as ruas Sarita Baracat, do Lambari, e o restante da rota.

Quem trafega pela Alameda Júlio Muller, paralela ao rio Cuiabá – sentido FEB – terá que virar à esquerda na FEB e seguir a rota sugerida, ou fazer o inverso, seguindo rumo à ponte Sérgio Motta. O acesso à ponte Júlio Müller, nesse ponto, também será bloqueado. Além dos veículos comuns, o transporte coletivo também fará o percurso sugerido.

Fonte: O Documento
Publicada em:: 06/01/2014

Cuiabá recebe mais 4 VLTs

06/01/2014

Chegaram a Cuiabá (MT) mais quatro Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) que circularão entre a cidade e Várzea Grande. Os VLTs são compostos por sete carros, totalizando 28 carros de passageiros.

Segundo a MAC Logistic, contratada pela CAF, fabricante dos VLTs, para fazer a toda a logística de transporte dos veículos, as unidades saíram do Porto de Bilbao, na Espanha, em 30 de novembro. Após a realização dos procedimentos aduaneiros no porto de Santos, os carros foram transportados em 12 caminhões até Cuiabá. Na capital matogrossense está sendo realizado um novo desembaraço aduaneiro e os carros serão levados para o pátio de manobras do VLT.

Essa é a segunda entrega do projeto. O primeiro VLT, com sete carros, chegou ao Brasil no final de outubro. Uma nova remessa de VLTs já está chegando ao porto de Santos.

De acordo com a empresa de logística, até março deste ano serão realizadas mais nove ou dez entregas como estas, totalizando os 40 trens. Cada VLT tem capacidade para transportar 400 passageiros.

Desde novembro, a CAF realiza os testes estáticos do primeiro VLT. Os testes de via estão previstos para iniciar em fevereiro.
Os VLTs estão sendo produzidos na Espanha. A produção foi dividida em três unidades fabris da empresa. Os VLTs estão sendo produzidos no País para dar tempo de atender o contrato para entrega dos VLTs em dois anos. A ideia da CAF era produzir os veículos no Brasil, mas isso não foi possível por conta do prazo de entrega e das adaptações necessárias na fábrica da empresa em Hortolândia, no interior de São Paulo. O edital não exigia a produção nacional.
Os 40 veículos serão utilizados nos 22 quilômetros de linha férrea em dois trechos: CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro. Ao todos serão 33 estações.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Cuiabá recebe mais 4 VLTs

06/01/2014 - Revista Ferroviária

Chegaram a Cuiabá (MT) mais quatro Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) que circularão entre a cidade e Várzea Grande. Os VLTs são compostos por sete carros, totalizando 28 carros de passageiros.

Segundo a MAC Logistic, contratada pela CAF, fabricante dos VLTs, para fazer a toda a logística de transporte dos veículos, as unidades saíram do Porto de Bilbao, na Espanha, em 30 de novembro. Após a realização dos procedimentos aduaneiros no porto de Santos, os carros foram transportados em 12 caminhões até Cuiabá. Na capital matogrossense está sendo realizado um novo desembaraço aduaneiro e os carros serão levados para o pátio de manobras do VLT.

Essa é a segunda entrega do projeto. O primeiro VLT, com sete carros, chegou ao Brasil no final de outubro. Uma nova remessa de VLTs já está chegando ao porto de Santos.

De acordo com a empresa de logística, até março deste ano serão realizadas mais nove ou dez entregas como estas, totalizando os 40 trens. Cada VLT tem capacidade para transportar 400 passageiros.

Desde novembro, a CAF realiza os testes estáticos do primeiro VLT. Os testes de via estão previstos para iniciar em fevereiro.
Os VLTs estão sendo produzidos na Espanha. A produção foi dividida em três unidades fabris da empresa. Os VLTs estão sendo produzidos no País para dar tempo de atender o contrato para entrega dos VLTs em dois anos. A ideia da CAF era produzir os veículos no Brasil, mas isso não foi possível por conta do prazo de entrega e das adaptações necessárias na fábrica da empresa em Hortolândia, no interior de São Paulo. O edital não exigia a produção nacional.
Os 40 veículos serão utilizados nos 22 quilômetros de linha férrea em dois trechos: CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro. Ao todos serão 33 estações.