segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Secopa dá prazo para obras de viadutos do pacote VLT em Cuiabá

02/09/2013 - Mídia News

Secretário Guimarães confirma elevado da Sefaz para este mês de setembro

Por Edson Rodrigues/Secopa

Três das obras de arte que integram o pacote de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na Grande Cuiabá têm previsão de entrega para os próximos dois meses, segundo o secretário da Copa, Maurício Guimarães.

A primeira obra a ser concluída, segundo a pasta, será a do Viaduto da Sefaz, que está sendo erguido na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), na Capital.

A obra, iniciada em dezembro do ano passado, se encontra na fase de execução da terraplanagem da cabeceira da pista (terra armada), que permite o acesso dos carros ao viaduto. Atualmente, essa fase está sendo executada na pista que faz o sentido CPA-Centro.

O elevado, que tem formato de ferradura e 278 metros de extensão, tinha entrega inicialmente prevista para agosto deste ano.

"O Viaduto da Sefaz está com a entrega prevista para a primeira quinzena de setembro" A obra será constituída de duas faixas de circulação, em apenas um sentido, sendo usada como alça de retorno para os motoristas que estiverem trafegando no sentido Centro-CPA e quiserem voltar à região central de Cuiabá.

O elevado terá 7,13 metros de altura em seu ponto mais alto e a pista terá de 9 a 11 metros de largura. Já o VLT – que fará o eixo CPA-Aeroporto – irá passar por baixo do viaduto.

Segundo a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), por se tratar de uma obra exclusivamente rodoviária (apenas para tráfego de veículos), assim que a obra for entregue ao Estado terá seu uso liberado para a população.

O grande objetivo da obra, segundo a Secopa, é solucionar o conflito de trânsito existente no local atualmente, principalmente nos horários de pico, como o início da manhã e o final da tarde, com a entrada e saída dos servidores públicos do Centro Político Administrativo (CPA).

Pelo trecho, passam aproximadamente 2,7 mil veículos por hora/sentido, nos horários de pico.

Próximas entregas

De acordo com Guimarães, na sequência, outras duas obras de arte do VLT serão entregues, dessa vez na Avenida Fernando Corrêa da Costa e na Rodovia Palmiro Paes de Barros (MT-040), ambas na região do Coxipó, na Capital.

"Os viadutos da UFMT e MT-040 estão previstos para o final de outubro" Os dois elevados serão rodoferroviários, ou seja, por ele passarão o tráfego comum, nos dois sentidos, e o VLT, que fará o eixo Coxipó-Centro. Elas serão constituídas de duas faixas de circulação por sentido para o tráfego geral e uma via central permanente para a passagem do VLT.

Inicialmente previsto para abril deste ano, Viaduto da UFMT apresentou problemas na execução de pilares que, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), já foram corrigidos.

A obra está com os trabalhos da fase de superestrutura em andamento, bem como a construção das pistas marginais (vias laterais do viaduto) e da rotatória que está sendo readequada sob o elevado.

Com 428 metros de extensão, o elevado está sendo erguido sobre os entroncamentos das avenidas Brasília (em frente ao Shopping Três Américas), Tancredo Neves e a via de acesso ao campus da UFMT.

O Viaduto da MT-040, por sua vez, já teve a etapa de içamento das vigas concluída. O elevado está sendo construído no entroncamento da MT-040 com a Avenida Fernando Corrêa da Costa e tem aproximadamente 445 metros de extensão.

Sob o viaduto será construída uma rotatória, além de faixas de circulação, que auxiliarão na distribuição do trânsito da região.

Implantação do VLT

Os três viadutos, bem como outras 11 obras de arte, estão inclusos no pacote do VLT, orçado em R$ 1,477 bilhão.

O consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande – formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda. – é responsável pela execução de todas as obras.

Ao todo, serão construídos cinco viadutos, quatro trincheiras e três pontes ao longo do trajeto do VLT, bem como será feito o reforço do canal da Prainha.

Segundo o secretário da Copa, apenas uma obra de arte do pacote não foi iniciada: a Trincheira Trigo de Loureiro, passagem subterrânea prevista para ser construída na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), próximo ao Viaduto da Miguel Sutil, inclusive com o alargamento do elevado para encaixe na obra.

"As demais obras já estão em andamento, algumas em fase final de acabamento", disse.

O novo modal será implantado em dois corredores estruturais do transporte coletivo e passará pelas avenidas João Ponce de Arruda e FEB (em Várzea Grande), e também pelas avenidas XV de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa.

Outros projetos especiais que faltam serem iniciados pelo consórcio é o reforço do Canal da Prainha, na Avenida Tenente Coronel Duarte, bem como construção de uma passagem de pedestres nas proximidades do Viaduto da Miguel Sutil, na Avenida do CPA, que hoje não existe na via.

Além disso, segundo o secretário, as obras para construção dos três terminais de Integração do VLT (Coxipó, CPA e Porto) já estão em andamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário