sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

No Mato Grosso assembleia exige VLT e considera troca pelo BRT como demagogia

Presidente da Assembleia Legislativa do Mato Grosso sugere ampla discussão entre governo e deputados para encontrar a melhor forma de concluir sistema de transporte
 
27/02/2015 - Folhamax

Em Cuiabá Guilherme Maluf defende VLT
Em Cuiabá Guilherme Maluf defende VLT
créditos: Folhamax
 
O presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB), defendeu o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) como melhor modal a ser implementado em Cuiabá e Várzea Grande e sugeriu uma ampla discussão entre Governo do Estado e deputados para debater a melhor forma para concluir o sistema de transporte. Maluf pediu durante sessão plenária desta quinta-feira (26), ao líder do governo na Assembleia Legislativa, Wilson Santos (PSDB), que promova a intermediação para debater a conclusão do VLT. "Temos que ter uma agenda positiva do VLT, debater, se é possível que seja criada uma agência para discutir como funcionará o modal. Se não há recursos para isso, podemos promover uma audiência pública e debater, por exemplo, se é possível a concessão, para obter montante para finalizar as obras".
 
Defensor do VLT por ser o meio de transporte mais rápido, eficiente, moderno, ecológico e confortável, o presidente da Assembleia Legislativa classificou como demagogia, a retomada por parte de alguns quanto a possibilidade de nova substituição para o Bus Rapid Transit (BRT). "Dizer em trocar o VLT para o BRT é demagogia, falta de conhecimento técnico. Seria jogar fora R$ 1 bilhão, que já foi aplicado. Defendo o VLT no nosso Estado, alguns falam que isso poderia ter sido evitado, se fosse construído o BRT. Quando eu defendi aqui [na Assembleia Legislativa] o VLT, é porque era e é o melhor modal, fui anteriormente verificar como funcionava esse meio de transporte na Europa. Temos que analisar é a forma em que foi aplicada a execução das obras. Essa Casa de Leis tem a obrigação de apurar de que forma foi aplicado, tínhamos a comissão de Acompanhamento das Obras da Copa e faço uma crítica, no meu modo de ver deixou a desejar, até quis fazer parte dessa comissão na época, mas não permitiram, mas faz parte da democracia, entendi", afirmou.
 
Maluf disse também que a expectativa é que as obras sejam concluídas, uma vez que durante a campanha eleitoral, o governador Pedro Taques (PDT) se comprometeu a finalizar as obras e recentemente, em entrevista, reafirmou o compromisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário