domingo, 21 de novembro de 2010

Empresa santista monta bonde para Belém

07/07/2004 - A Tribuna de Santos


TIPO EXPORTAÇÃO - Sairá de Santos a réplica do bonde (modelo de 1910) que irá percorrer os pontos turísticos de Belém do Pará
Foto: Anésio Borges, publicada com a matéria

RÉPLICA
 
Depois de participar da restauração dos bondes elétricos que circulam no Centro Histórico de Santos, uma empresa da Cidade fabricou uma réplica de um modelo de 1910 que irá percorrer, dentro de algumas semanas, os pontos turísticos de Belém do Pará. Antes de ser transportado, o veículo ficará exposto até amanhã na frente da antiga Estação Ferroviária do Valongo.

O meio de transporte tem o esqueleto de um bonde que trafegou até 1968 em Campinas e havia sido adquirido por um colecionador de Sorocaba.

"O truck (carcaça) dele estava encostado por 15 anos. Nós o compramos e montamos todo o bonde", contou Celso Aparecido Bizerra, proprietário da Clinimaq, que confeccionou o veículo.

A encomenda, feita pela prefeitura de Belém, levou seis meses para ficar pronta e demandou o trabalho de 12 funcionários.

Antes de iniciar a montagem, Bizerra teve o cuidado de fazer uma pesquisa histórica para saber como eram os bondes que circulavam em Belém, a fim de preservar todos os detalhes. "Temos peças originais, com mais de 100 anos, e outras que foram feitas nos mesmos moldes das autênticas".



A parte estrutural é idêntica à de um bonde de 1910
Foto: Carlos Marques, publicada com a matéria

Entre os detalhes, chamam a atenção o encosto dos nove bancos, feito com palha, as luminárias típicas, a chave geral, que interrompe o funcionamento caso ocorra um curto, e as peças de bronze.

Outras curiosidades são o relógio contador, que marca quantos passageiros subiram no bonde, e o tímpano, a buzina acionada pelo pé do condutor. "Precisamos de um projetista para desenhar as peças que faltavam, mas agora tenho as plantas da carroceria, do truck e da parte elétrica".

Embora tenha a parte estrutural idêntica à de um bonde de 1910, o veículo conta com um moderno sistema elétrico e eletrônico. Além do aparelho de CD e amplificador para dois microfones sem fio, foram instaladas oito caixas de som, embutidas na iluminação, e um dispositivo automático para o freio. "Pensamos na segurança, mas mantivemos o freio tradicional do bonde, que é manual, mas funciona perfeitamente".



O veículo conta com moderno sistema elétrico e eletrônico
Foto: Carlos Marques, publicada com a matéria

Nem as letras estampadas nos vidros jateados fogem ao padrão do início do século passado. O engenheiro admitiu ter tido um gasto "muito grande", mas preferiu não revelar o valor final, e nem por quanto o bonde foi vendido.

Antes mesmo de ser entregue, a réplica já rendeu um retorno positivo par Bizerra. "Já fomos procurados por Manaus, Araponga, Curitiba, Estados Unidos e Portugal".

Depois de dois dias exposta na frente da Estação Ferroviária do Valongo, a réplica será transportada por uma carreta até Belém do Pará, percurso que deve levar de 13 a 14 dias.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário