quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Técnico afirma que a implantação do VLT terá custo menor que BRT

10/08/2011 - O Documento

O mais importante é que, o VLT utiliza energia limpa, não emite CO e não tem ruído ou qualquer outro tipo de barulho

A implantação de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tende a ficar num preço abaixo que o do Bus Rapid Transit (BRT). A projeção partiu do consultor Rowles Magalhães da Silva, técnico de um fundo de investimentos, durante explanação na tribuna livre da sessão ordinária desta terça-feira (09/08), no plenário da Câmara de Cuiabá.

“Com certeza o valor para a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) será três vezes maior que a do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), um exemplo dos gastos, será a questão das desapropriações, a empresa que for contratada para demolir tudo será de alto custo, como também o valor a ser pago a todos esses moradores e comerciantes da região central”, afirma Rowles Magalhães Silva, assegurando que os benefícios do VLT, para a Capital, são maiores.

Favorável à implantação VLT, o vereador Pastor Washington Barbosa (PRB), questionou o técnico sobre o impacto custo-benefício do modal para os bairros onde o veículo possivelmente irá passar. Como também, quais os prejuízos existentes ainda com a indefinição do meio de transporte, e em relação ao aumento no valor das passagens.

Em resposta, o técnico garantiu que a indefinição pode sim atrapalhar as obras da Copa de Mundo de 2014. Segundo ele, a implantação deve começar ainda no mês de janeiro do próximo ano para que haja o termino do período de dois anos. E afirmou que não haverá alteração no valor das passagens se for confirmado VLT, tendo em vista que, a tarifa é determinada pelos órgãos públicos.

Sobre os custos-benefício, Rowles Magalhães apontou que os imóveis de moradores e comerciantes em torno ao VLT serão totalmente valorizados, estimando que o veículo leve sobre trilhos vá trazer maior conforto e qualidade de vida aos usuários. “O VLT será rápido, podendo transportar um maior número de usuários, em um curto periodo de tempo, desta forma trazendo qualidade de vida e conforto.”

No esclarecimento, Rowles Magalhães afirmou que quer o melhor para Cuiabá. “Estamos tentando trazer para a Capital modernidade, desenvolvimento, um exemplo disso, é que muitos países estão trocando o BRT para o VLT, como em Portugal, Espanha, entre outros. O mais importante é que, o VLT utiliza energia limpa, não emite CO² e não tem ruído ou qualquer outro tipo de barulho”, argumenta ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário