quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Obra do VLT de Cuiabá deve começar em maio

22/02/2012 - G1 MT

O governo de Mato Grosso apresentou na tarde desta quarta-feira (22) ao Ministério Público Estadual (MPE) o anteprojeto para a construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), novo modelo de transporte público para a Copa do Mundo de 2014, em Cuiabá. A obra de começar até o final do mês de maio, segundo prevê a Secretaria da Copa (Secopa).

Segundo o assessor especial de mobilidade urbana da Secopa, Rafael Detoni, o objetivo desta apresentação aos representantes do MPE é averiguar se existe a necessidade de modificação de algum ponto específico. “É melhor ter este tempo de modificação do que ter falhas no futuro”, observou.

Após a abertura do edital de licitação, as empresas interessadas em participar do processo de licitação, segundo Rafael Detoni, terão 45 dias para apresentar as propostas. “O aviso de abertura de edital foi publicado no Diário Oficial do estado na data de hoje. Agora será publicado também no Diário Oficial da União, o que provavelmente vai ocorrer na próxima segunda-feira (27). Em seguida deveremos abrir o edital de licitação”, informou.

O processo de licitação do VLT, conforme o representante da Secopa, será realizado por meio de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), que é uma modalidade de contratação simplificada criada para dar agilidade aos serviços específicos relacionados às obras da copa. A empresa contratada terá que realizar todos os processos da obra, como os estudos ambientais e a obtenção do licenciamento da área.

O projeto

O VLT terá uma extensão de 22 quilômetros que será divido em dois itinerários. O primeiro trecho deve ligar a Avenida Historiador Rubens de Mendonça até o Aeroporto Marechal Rondon, já o segundo itinerário irá abranger a região do Coxipó e a região central da cidade.

A Secopa estima um gasto de R$1,2 bilhão, sendo que R$423 milhões já está aprovado e R$727 milhões serão viabilizados por meio da Caixa Econômica Federal com recurso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Nenhum comentário:

Postar um comentário