domingo, 20 de maio de 2012

Estado do MT deverá ampliar valor do empréstimo para o VLT

15/05/2012 - O Documento

Inicialmente, o Estado projeta investir até RR$ 1,2 bilhão para a implantação do modal.

Em sessão realizada na manhã desta terça-feira (15.05), em Cuiabá, a Secopa recebeu os evelopes com as propostas de preço e técnica de quatro consórcios que disputam a licitação para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande. O certame é realizado nos moldes do Regime Diferenciados de Contratações (RDC), que permite a contratação integrada dos projetos básicos, executivos, execução das obras, fornecimento e montagem de sistemas e material rodante.

O menor preço foi oferecido pelo consórcio “VLT Cuiabá”, no valor de 1,477 bilhão. O consórcio “Mendes Júnior/Soares da Costa/Alstom” propôs R$ 1,547 bilhão, seguido pelo consórcio “Tranvia Cuiabá”, com o montante de R$ 1,596 bilhão. O maior valor foi proposto pelo consórcio “Expresso Verde”, R$ 1,850 bilhão. Encerrada a sessão, a Comissão de Licitação avaliará internamente as propostas técnicas conforme estabelecido no edital. O vencedor será anunciado de acordo a pontuação final obtida, que é um somatório da nota da proposta técnica (peso de 60%) e da proposta de preço (peso de 40%). Também serão avaliados os documentos para habilitação apresentados pela concorrente melhor qualificada após o julgamento das propostas de preços e propostas técnicas.

Inicialmente, o Estado projeta investir até RR$ 1,2 bilhão para a implantação do modal. Diante dos preços maiores que o previsto, medidas para custar a diferença já começam a serem estudadas para que a obra não sofra atrasos. “As propostas ficaram um pouco acima do esperado, mas o processo licitatório segue em andamento, considerando também as propostas técnicas das empresas. Em relação aos valores, aguardaremos o final do certame para verificar com o governador as medidas cabíveis”, explicou o secretário extraordinário da Copa do Mundo, Maurício Guimarães.

O secretário-chefe da Casa Civil, José Lacerda, também disse à imprensa que o Governo do Estado tem boa capacidade de endividamento e que aguardará o resultado final do certame, previsto para ser anunciado em dez dias, para tomar as providências necessárias. A sessão de licitação também foi acompanhada pelo procurador-geral do Estado, Jenz Prochnow Júnior, e o auditor-geral do Estado, José Alves Pereira Filho.

Consórcios participantes

“VLT Cuiabá” – Formado pela CR Almeida S/A Engenharia de Obras, Santa Bárbara Construções S/A, CAF Brasil Indústria e Comércio S/A, Magna Engenharia Ltda e Astep Engenharia Ltda. Preço: R$ 1,477 bilhão

“Consórcio Mendes Júnior/Soares da Costa/Alstom” - Composto pela Mendes Júnior Trading e Engenharia S/A, Sociedade de Construções Soares da Costa S/A, Alstom Brasil Energia e Transporte Ltda. Preço: R$ 1,547 bilhão “Consórcio Tranvia Cuiabá” – Formado pela S/A Paulista Construções e Comércio, Trans Sistemas de Transportes S/A, Isolux Projetos e Instalações Ltda, Corsàn-Corviam Construcciòn, Isolux Ingenierìa S/A, Vossloh España S/A, Vossloh Kiepe e Vetec Engenharia Ltda. Preço: R$1,596 bilhão.

“Expresso Verde” – Formado pela Engeglobal Construções Ltda, China National Machinery Import & Export Corporation – CMC, Construtora RV LTDA, Convap Engenharia e Construções S/A, Três Irmãos Engenharia Ltda, Ecoplan Engenharia Ltda. Preço: 1,850 bilhão

Modal

Com dois eixos, CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro, o modal será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça, FEB, 15 de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Correa da Costa. Serão três terminais de integração e 33 estações, que terão uma distância média de 500 a 600 metros entre um ponto e outro.

Com 15 Km de extensão, o trajeto CPA - Aeroporto contará com dois terminais de integração (CPA1 e André Maggi, que terá um elevado ferroviário no aeroporto Marechal Rondon), 22 estações de transbordo, dois viadutos, três trincheiras e uma ponte. Nesse trecho será feito também a reestruturação do canal da prainha, na região central de Cuiabá.

O eixo Coxipó - Centro terá 7,2 Km de extensão, um terminal de integração (Coxipó), 11 estações de transbordo, três viadutos e duas pontes.

Os terminais terão estacionamento para veículos e bicicletário, ampliando o potencial de mobilidade urbana na Capital e em Várzea Grande. O anteprojeto do VLT prevê que todos os critérios de acessibilidade serão contemplados na elaboração dos projetos básico, executivo e, consequentemente, na execução das obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário