sábado, 22 de setembro de 2012

Audiência apresenta EIA do VLT

21/09/2012 - Diário de Cuiabá

Audiência apresenta EIA do VLT

No dia seguinte à decisão judicial que determinou nova suspensão das obras do VLT de Cuiabá e Várzea Grande, técnicos da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo FIFA 2014 e do consórcio VLT Cuiabá apresentaram oficialmente o Estudo de Impacto Ambiental da obra.

As três audiências públicas cumpriram uma das etapas obrigatórias do processo de licenciamento ambiental do novo modal de transportes, cujo projeto prevê a implantação de 22,5 quilômetros ao longo de dois eixos (Aeroporto-CPA e Coxipó-Centro).

Orçada em R$ 1,4 bilhão, a obra do VLT foi apresentada como uma intervenção com mais impactos positivos que negativos ao ambiente urbano. "Os aspectos negativos estão praticamente restritos ao período de obras", disse o secretário Maurício Guimarães.

Sobre a paralisação das obras, determinada pelo juiz Marllon Sousa, da 1ª Vara da Justiça Federal, o secretário se declarou "tranquilo" quanto à possibilidade de reversão da medida no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região.

"O recurso será protocolado até amanhã [hoje], no máximo. E esperamos que tudo seja resolvido já na próxima semana para não impactar os prazos, que são apertados. Não podemos ficar neste vai e vem", avaliou.

A realização das audiências ontem, na opinião do secretário, não descumpriu a decisão judicial. "O que está paralisada é a obra. Essa é uma audiência do governo do Estado dentro de uma ação de licenciamento do modal. Uma coisa não tem relação com a outra."

Procurados, os ministérios públicos Federal e Estadual não comentaram a questão. Em sua decisão, o magistrado avaliou que a realização das audiências, meses após a contratação da obra, é um "indício de que todo o procedimento foi feito às escondidas".

"O cenário desenhado até o momento retrata que houve uma decisão arbitrária na eleição do VLT", disse, em um trecho".

No dia seguinte à decisão judicial que determinou nova suspensão das obras do VLT de Cuiabá e Várzea Grande, técnicos da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo FIFA 2014 e do consórcio VLT Cuiabá apresentaram oficialmente o Estudo de Impacto Ambiental da obra.

As três audiências públicas cumpriram uma das etapas obrigatórias do processo de licenciamento ambiental do novo modal de transportes, cujo projeto prevê a implantação de 22,5 quilômetros ao longo de dois eixos (Aeroporto-CPA e Coxipó-Centro).

Orçada em R$ 1,4 bilhão, a obra do VLT foi apresentada como uma intervenção com mais impactos positivos que negativos ao ambiente urbano. "Os aspectos negativos estão praticamente restritos ao período de obras", disse o secretário Maurício Guimarães.

Sobre a paralisação das obras, determinada pelo juiz Marllon Sousa, da 1ª Vara da Justiça Federal, o secretário se declarou "tranquilo" quanto à possibilidade de reversão da medida no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região.

"O recurso será protocolado até amanhã [hoje], no máximo. E esperamos que tudo seja resolvido já na próxima semana para não impactar os prazos, que são apertados. Não podemos ficar neste vai e vem", avaliou.

A realização das audiências ontem, na opinião do secretário, não descumpriu a decisão judicial. "O que está paralisada é a obra. Essa é uma audiência do governo do Estado dentro de uma ação de licenciamento do modal. Uma coisa não tem relação com a outra."

Procurados, os ministérios públicos Federal e Estadual não comentaram a questão. Em sua decisão, o magistrado avaliou que a realização das audiências, meses após a contratação da obra, é um "indício de que todo o procedimento foi feito às escondidas".

"O cenário desenhado até o momento retrata que houve uma decisão arbitrária na eleição do VLT", disse, em um trecho".

Nenhum comentário:

Postar um comentário