sábado, 22 de setembro de 2012

Tarifa do VLT em Cuiabá poderá ser de R$ 1,75 por passageiro, prevê Secopa

20/09/2012 - G1

O valor da tarifa do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), modal escolhido para o transporte urbano em Cuiabá e Várzea Grande para a Copa de 2014, poderá ser cobrado no valor de R$ 1,75 por passageiro. A questão foi debatida pela Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) durante audiência pública nesta quinta-feira (20) para apresentação dos relatórios sobre os impactos ambientais, sociais e econômicos decorrentes da implantação do metrô de superfície.

De acordo com a Secopa, o valor passará por análise considerando a integração com a rede de ônibus e o sistema de gratuidade das passagens, que deverá se aproximar do preço cobrado no sistema de transporte coletivo da capital, que é de R$ 2,70.

A audiência apresentou o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA - Rima) e Estudo de Impacto de Vizinhança e Relatório de Impacto de Vizinhança (EIV-Riv). O responsável pela coordenação dos estudos, o engenheiro florestal Ricardo Mastrangelli, identificou 281 pontos positivos e 240 negativos, estes últimos estão relacionados principalmente com a fase de obras por conta das interdições e interferências na área urbana da região metropolitana da capital.

O VLT percorrerá 22 km entre a capital e Várzea Grande, trajeto em que contará com cinco viadutos, quatro trincheiras e três pontes. A capacidade máxima de passageiros será de 400 pessoas por veículo e o tempo de espera para o embarque será de até quatro minutos, conforme a Secopa.
Com dois eixos, CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro, o modal será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça, FEB, 15 de Novembro, Tenente-Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa. Serão três terminais de integração e 32 estações, que terão uma distância média de 500 a 600 metros entre um ponto e outro.

Outro assunto bastante discutido na audiência, que contou com a participação popular, Ministério Público Estadual, Secretaria de Meio Ambiente, foram as desapropriações. A Secopa destacou que foram identificados 62 pontos que estão sendo analisados pela empresa responsável pelos laudos de avaliação e, após a avaliação, os valores que serão pagos pelos imóveis serão divulgados aos proprietários.

Os obras do VLT foram suspensas pela segunda vez por decisão da Justiça Federal nesta quarta-feira (19) devido às denúncias de superfaturamento e irregularidades do procedimento do Regime Diferenciado de Contratação (RDC). A decisão foi em Ação Civil Pública interposta pelos Ministérios Públicos de âmbito estadual e federal no dia 12 de setembro. O secretário da Copa, Maurício Guimarães, disse que ainda nesta quinta a Procuradoria Geral do Estado deve protocolar recurso no Tribunal Regional Federal (TRF-1), em Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário