terça-feira, 16 de setembro de 2014

Uberlandenses falam de expectativas sobre implantação do VLT na cidade

14/09/2014 - G1

Nos próximos meses a Comissão Interdisciplinar da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), que estuda a possível implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na cidade, vai apresentar à população todo o projeto e a viabilidade do transporte. O G1 conversou com alguns uberlandenses que se adiantaram e, mesmo sem conhecer os estudos a fundo, opinaram e se mostraram favoráveis ao investimento.

O arquiteto Francisco Nogueira acredita que a medida poderia ser um passo importante para desafogar o transporte público da cidade, principalmente nos horários de pico. "Nosso transporte é um caos, passar pelo trecho da Praça Tubal Vilela em horário de pico, por exemplo, é muito complicado", opinou.

Ainda na opinião do uberlandense, o VLT poderia trazer mudanças à rotina da população que talvez passaria a deixar mais os carros em casa para começar a usar um transporte público de qualidade.

A estudante Camila Castro, de 25 anos, depende dos ônibus do transporte coletivo diariamente para poder ir para a universidade. Ela contou que sempre tem que sair muito cedo de casa para não se atrasar para aula, em virtude do trajeto demorado. Favorável ao VLT, ela acredita que se o transporte fosse implantado seria muito vantajoso aos usuários por causa da rapidez e praticidade.

   
Melhorias no trânsito

Com o transporte modernizado, alguns uberlandenses também acreditam que o trânsito do município seria beneficiado, além de contribuir efetivamente à mobilidade urbana. "Acredito que se o projeto for administrado corretamente, o trânsito da cidade irá melhorar bastante, pois o VLT é capaz de transportar de maneira eficiente um grande número de pessoas, interligando pontos importantes da cidade. Esse é o momento ideal de introduzi-lo à malha urbana. Além disso, se o projeto for executado, Uberlândia pode se tornar referência em mobilidade urbana para outras cidades do país", opinou a bióloga Verena Rabenschlag.

A cidade compartilha de uma frota que gira em torno de 380 mil veículos e frota flutuante de 450 mil. Na opinião do analista de sistemas, Blayton Portela, 29 anos, trazer melhorias ao trânsito de Uberlândia sem dúvidas seria um dos principais benefícios do metrô de superfície considerando o aumento contínuo da frota de veículos.

Ele se diz favorável ao sistema, contudo, afirmou que o projeto não é necessário para a cidade nos próximos dez anos. "Existem projetos em andamento visando melhorar o trânsito e o transporte público em Uberlândia com um custo bem menor, como a criação dos novos corredores de ônibus e viadutos, que tiveram um orçamento aprovado em cerca de R$ 130 milhões. Enquanto que uma prévia de orçamento inicial do VLT é de cerca de R$ 500 milhões, valor que dava para ser investido em outras áreas mais urgentes", comentou.

Segunda etapa finalizada

O grupo de engenheiros, arquitetos, economistas, geógrafos e biólogos finalizou no início deste mês a segunda etapa dos estudos, que definiu as linhas de circulação e o trajeto que o metrô de superfície irá percorrer. Serão duas: Linha Lilás e Linha Verde.

De acordo com a coordenadora geral do estudo, Marlene Colessanti, a Linha Lilás beneficia o Centro, onde há a concentração do maior número de passageiros. Ela ligará o Bairro Fundinho, passando pelas avenidas Floriano Peixoto e Afonso Pena, e indo até o Bairro Umuarama.

Seria um percurso de quase sete quilômetros, com 23 estações e capacidade para transporte de 65 mil passageiros por dia.

A Linha Verde passará próximo ao Praia Clube e chegaria ao aeroporto da cidade. "Essa linha que desenvolvemos foi pensando no futuro da cidade mesmo. Porque aquela região próxima ao aeroporto está crescendo muito e precisava ser contemplada", disse Marlene.
 
O estudo e etapa final

A publicação final dos estudos completos deve ser entregue em março de 2015 à Prefeitura Municipal de Uberlândia, que posteriormente deverá incluir o VLT no Plano de Mobilidade e no Plano Diretor do Município por meio da aprovação de lei pela Câmara Municipal. Mas antes disso, Marlene afirmou que em breve será realizada uma audiência pública para que o projeto seja apresentado à população.

Ainda segundo a coordenadora, a terceira e última etapa do estudo está sendo iniciada. "Agora o próximo passo é fazer os estudos da viabilidade econômica e sustentável do Veículo Leve sobre Trilhos. Até novembro devemos nos reunir nessa audiência para mostrar aos uberlandenses o quanto esse transporte é benéfico. Mais silencioso, mais confortável e a cidade merece", pontuou.

O transporte

O VLT é uma tecnologia de transporte coletivo sob trilhos movida a energia elétrica com capacidade de passageiros superior aos ônibus, além de apresentar mais flexibilidade em relação aos metrôs, pois compartilha as mesmas vias com os carros, motos e pedestres circulando pelas mesmas avenidas.

Por suas características, os VLTs têm sido utilizados para desenvolver a mobilidade urbana sustentável, revitalizar áreas urbanas degradadas e valorizar o patrimônio arquitetônico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário