segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Governador de MT quer emprestar R$ 200 mi para obras do VLT

31/10/2014 - G1 MT

O governador Silval Barbosa (PMDB) pediu autorização da Assembleia Legislativa de Mato Grosso para emprestar até R$ 200 milhões da Caixa Econômica Federal a fim de arcar com as depesas geradas ao estado por conta da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital. O pedido feito formalmente por meio de mensagem ainda não teve aval dos deputados estaduais.

Silval argumentou, na mensagem, que a capacidade de financiamento do estado não é suficiente para atender toda a demanda da sociedade e que arrecada somente o necessário para a prestação de serviços básicos. "Portanto, se faz necessário o aporte de recursos oriundos de operações de crédito para fazer frente as suas necessidades de investimentos", disse. Até agora, a previsão era gastar R$ 1,4 bilhão com a instalação do modal de transporte, que deveria atender a demanda da Copa do Mundo, realizada em junho deste ano.

Desse montante, o estado tem a obrigação de dar a contrapartida de R$ 325,9 milhões, sendo R$ 257,3 milhões de desoneração tributária e R$ 68,6 mil diretamente ao Tesouro estadual. Segundo o governador, esse financiamento não aumentará o custo de implantação do VLT e que esse dinheiro será usado para suprir parte da desoneração tributária e arcar com a responsabilidade do Tesouro estadual.

Ainda no documento, o atual governador que deve deixar o cargo em dois meses frisou sobre a importância do VLT para melhorar o trânsito da região metropolitana. "O VLT tem o objetivo de proporcionar melhores condições de vida aos usuários do transporte coletivo, através de um sistema moderno e com tecnologia que existe de mais eficiente no mercado mundial", enfatizou, sobre o transporte que deveria ter ficado em março deste ano, pelo cronograma de obras previstas em contrato firmado com o consórcio de empresas responsáveis pela execução do projeto de mobilidade urbana.

A mensagem foi lida em plenário na sessão de terça-feira (28) e estava prevista para ser votada na quinta-feira (30), mas não houve consenso e os deputados defenderam a ampliação da discussão acerca do empréstimo. A mensagem pode entrar na pauta de votação na próxima semana.

A previsão é que o VLT comece a operar até o final de 2015. Ao todo, 36 dos 40 vagões devem funcionar durante os horários de pico ao longo de 22 quilômetros do trecho do VLT, segundo a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa).O VLT deve percorrer as avenidas João Ponce de Arruda e Feb, em Várzea Grande, passando pelas avenidas 15 de Novembro, Tenente Coronel Duarte, a Prainha; Historiador Rubens de Mendonça (CPA), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá.

Para integrar o VLT com os ônibus coletivos, devem ser construídos terminais de integração em Cuiabá e Várzea Grande. O preço da tarifa não deve ser mais cara do que a de ônibus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário