quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Consultoria vai desatar os nós do VLT de Cuiabá

30/09/2015 - Olhar Direto

Governo de Mato Grosso define amanhã (1) a empresa que fará estudo para a continuidade e conclusão das obras. Sistema deveria ficar pronto em 2014

Marcos de Sousa

Consultoria vai desatar os nós do VLT de Cuiabá
Cuiabá: veículos aguardam término de obras
créditos: pacgov @ flickr

A consultoria que definirá o futuro do VLT de Cuiabá-MT será escolhida na próxima quinta-feira (1), pelo governo do estado de Mato Grosso. Três empresas participam do certame: Accenture do Brasil, Cinclus Engineering Consultancy e KPMG Consultoria. 

A vencedora terá de apresentar relatórios detalhados sobre viabilidade economia, cronograma de obras, entre outros pontos. O governador Pedro Taques (PSDB) já adiantou que o valor (que deve girar em torno de R$ 4 milhões) será debitado, posteriormente, do que o Consórcio VLT tem a receber do Executivo.

As análises das propostas técnicas e orçamentárias para contratação de consultoria especializada para a obra do VLT começaram nesta terça-feira (29). Os documentos serão analisados hoje e amanhã pelo Executivo. A empresa vencedora deverá apresentar em 120 dias relatórios detalhados sobre os seguintes itens:

- viabilidade financeira do modal; 
- cronograma de término de obras; 
- estimativa de demandas de operação durante os próximos 20 anos; 
- proposta de integração do VLT à matriz de transporte de Cuiabá e Várzea Grande; 
- cronograma de desembolso do estado para implantação do VLT. 

Projeto para a Copa de 2014

O projeto do VLT Cuiabá-Várzea Grande começou a ser elaborado em 2010, tendo em vista a Copa de 2014. Antes, a proposta previa a construção de um corredor de ônibus (BRT), mas uma decisão do governo local levou à opção pelo sistema de veículos leves sobre trilhos. Posteriormente, uma sucessão de embargos dos órgãos de controle paralisou as obras, embora os veículos já estejam no pátio de manobras e em condições de operação.

Neste ano foi a vez de a Justiça de Mato Grosso suspender por quatro meses as obras do VLT para que o estudo de viabilidade seja finalizado. Desta forma, a montagem dos trilhos só deve ser retomada em 2016. A previsão é que o sistema de bondes não fique pronto antes de 2018. O projeto estava orçado em R$ 1,47 bilhão e pode ultrapassar os R$ 2 bilhões por conta das correções. O estado já investiu mais de R$ 1 bilhão com as obras e material rodante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário